Inicio > Mis eListas > lea > Mensajes

 Índice de Mensajes 
 Mensajes 1111 al 1140 
AsuntoAutor
  Jaime E.
Caligo Ventures: T Jaime E.
Ayuda para un Espa Asturias
TrastorDigest (2da Interfaz
II REUNION LATINOA Fund. De
Fw: Infoagua Notic Fernánde
¡¡URGENTE!! REGLAM Fund. De
Delta del Orinoco Jan Schi
RE: Fw: Infoagua N Interfaz
Curso Murciélagos- J. Ochoa
Linhão vai trazer Interfaz
  Jaime E.
Último anillado de Edinson
TrastorDigest 02JU Interfaz
  Jaime E.
TrastorDigest 03JU Interfaz
Cultivos Transgeni Alberto
RV: EL ÁGUILA Edinson
(Texto Corto) ELEC Interfaz
Australia asume la Vitae
Y la fibra optica Interfaz
Re: Y la fibra opt anna pon
Calha Norte anna pon
Solicito Informaci Edinson
Respuesta a los tr Alberto
Artículo de Opinió Alberto
Llegó perfecta!!! Alberto
Junto al Agua, pal Vitae
Fw: Taller Teórico riestra
Nube de polvo afri Julio Ce
 << 30 ant. | 30 sig. >>
 
Lista Ecologia y Ambiente - VZLA
Página principal    Mensajes | Enviar Mensaje | Ficheros | Datos | Encuestas | Eventos | Mis Preferencias

Mostrando mensaje 1530     < Anterior | Siguiente >
Responder a este mensaje
Asunto:[LEA-Venezuela] Calha Norte
Fecha:Jueves, 5 de Julio, 2001  20:03:40 (-0400)
Autor:anna ponte <annasp @.....net>

Boa Vista-RR, quarta-feira 04 de julho 2001. 
… JORNAL: 
                                 BRASIL NORTE 
 
* Calha Norte avalia cobiça internacional da Amazônia 
 
Seminário apresenta propostas para vários projetos auto-sustentáveis 
 
O coronel Avelino disse que o programa vai estimular o  
desenvolvimento de Roraima 
O segundo dia do Seminário Calha Norte 2001 - Roraima, que está sendo  
realizado no palácio da Cultura, foi marcado por várias palestras,  
sendo explanadas ações desenvolvidas pelo Programa Calha Norte (PCN)  
e soluções para problemas enfrentados pelos estados amazônicos. A  
primeira palestra foi proferida pelo capitão de fragata Ruidbert  
Kilian Júnior, do Departamento de Política e Estratégia do Ministério  
da Defesa, que tratou sobre a Situação Geopolítica e Estratégica da  
Amazônia Setentrional. 
O gerente do PCN, coronel Roberto de Paula Avelino, foi o segundo  
palestrante, tendo como tema: "O Programa Calha Norte - Contribuições  
do PCN para a Manutenção da Soberania e da Integridade Territorial da  
Amazônia Setentrional". Ele voltou a falar também sobre os  
investimentos nos últimos dois anos. 
Apesar de não considerar grandes riscos de invasão territorial, o  
coronel Avelino diz que existe uma cobiça internacional e que é  
necessária as ações em defesa da soberania nacional, especialmente,  
nos estados do Calha Norte, onde a densidade demográfica é baixa e  
eles são fronteiriços com alguns países problemáticos, entre eles, a  
Colômbia. 
"Temos que ter presença maciça de brasileiros nestas localidades de  
fronteira para garantirmos nossa soberania, aumentando a vigilância e  
preparados para qualquer eventualidade, além de proporcionarmos  
melhorias na qualidade de vida nestas regiões", destacou Avelino. 
Como exemplo, o coronel comentou sobre a construção do Pelotão  
Especial de Fronteira no município de Uiramutã, que deve ficar pronto  
no próximo ano, demandando investimentos de R$ 2,5 milhões em sua  
estrutura física, sendo que 40% deste já foram liberados. Lá devem  
atuar cerca de 80 militares. 
"Com este pelotão estão sendo feitas melhorias na estrada, que deve  
ser passar por manutenção periódica. Entre o quadro funcional do  
pelotão haverá médico, dentista e laboratório, que contribuirão  
também com a comunidade local, já que uma de nossas atribuições é  
atender a população", garantiu o coronel. 
Durante sua palestra, o coronel Avelino destacou o montante de  
recursos destinados ao Calha Norte. No ano passado foram aplicados R$  
29 milhões (mi) e para este ano há uma previsão de R$ 37 mil, sendo  
que R$ 16 mi já foram liberados. Somados aos investimentos do ano  
2000, foram aplicados R$ 38 mi. Destes, 58% na área de segurança e  
soberania e 42% em ações de desenvolvimento regional. 
A terceira palestra foi ministrada pelo comandante naval da Amazônia  
Ocidental, Murilo de Moraes Rego Barbosa, que demonstrou a Ação do  
Comando da Marinha na Região do Calha Norte. Com relação a Roraima,  
ele explicou que existem poucas ações nesta área devido à falta de  
condições fluviais. "Encontramos dificuldades de atuação em Roraima",  
reconheceu. 
Outros dois palestrantes participaram do segundo dia do evento. O  
comandante da 1ª Brigada de Infantaria de Selva, Claudimar Magalhães  
Nunes falou sobre as Ações do Exército, enquanto que o comandante do  
VII Comando Aéreo Regional, Nelson Teixeira Pinto, encerrou os  
trabalhos ontem, explicando sobre as Ações da Aeronáutica no Calha  
Norte. 
 
* Chico Rodrigues diz que é preciso mais investimentos 
O deputado federal Chico Rodrigues (PFL) falou ontem sobre a  
importância do Programa Calha Norte (PCN) para a soberania nacional e  
para o desenvolvimento das localidades abrangidas, ressaltando a  
necessidade de mais investimentos, que, este ano, segundo o  
parlamentar, sofreu uma redução de 50% dos recursos disponíveis. 
Chico Rodrigues comenta que o Calha Norte foi criado a mais de 10  
anos como instrumento de integração nacional, por meio de projetos de  
investimentos que tornassem visível a presença e a intervenção do  
Governo Federal em uma área pouco habitada. 
De acordo com o parlamentar, durante este período, o PCN não teve  
influência significativa para o processo migratório e a ocupação da  
região, devido à falta de visão geopolítica de alguns segmentos do  
governo. "Isto tem impedido resultados mais concretos do Calha Norte,  
que tem sobrevivido graças ao empenho dos militares. O Brasil precisa  
cuidar da região amazônica porque os estrangeiros estão interessados  
em cuidar", alertou. 
Na visão de Chico Rodrigues, nos dois últimos anos o Programa estava  
tendo um novo impulso, mas corre o risco de não conseguir emplacar  
toda a sua potencialidade, com a redução dos recursos previstos para  
este ano. "O Governo Federal precisa dar um apoio constante ao  
Programa ou corre-se o risco dos projetos não saírem do papel",  
afirmou. 
O parlamentar destacou ainda a nova visão do Calha Norte ao firmar  
parceria com o Instituto Getúlio Vargas, realizando um estudo  
detalhado das potencialidades dos municípios atendidos e buscando  
soluções para o seus respectivos desenvolvimento. "É preciso que se  
disponibilize os recursos necessários a grande amplitude do Calha  
Norte". 
 
Conversa Afiada 
 
 
Um levantamento de projetos ambientais de dois estados da Amazônia  
Ocidental estão sendo apresentados desde ontem durante o Encontro  
Regional de Educação Ambiental na Amazônia Pólo Roraima-Amazonas,  
promovido pela organização não-governamental Fundo Mundial para a  
Natureza no Brasil (WWF-Brasil, sigla de Worl Wide Fund for Nature),  
no Manaus Tropical Hotel. O encontro está servindo para proporcionar  
visibilidade às experiências educacionais realizadas no Norte do País. 
O evento faz parte do "Projeto Levantamento de Experiências em  
Educação Ambiental na Amazônia", que começou na Oficina Nacional de  
Educação Ambiental, em Silves (AM), em 1999. Além de apresentações  
orais, os trabalhos são expostos em painéis e debatidos em  
mesas-redondas e em um fórum. A oportunidade permitirá a divulgação  
de experiências e a construção de uma rede de educação ambiental que  
possam dar visibilidade às potencialidades da região. 
Entre os principais projetos estão o Marimauá, Tupé, Fundação Vitória  
Amazônia e Bodozal, todos desenvolvidos no Amazonas, e projetos com  
assentamentos do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária  
(Incra), em Roraima. No final todos os trabalhos serão reunidos em um  
livro. 
A WWF-Brasil é uma ONG brasileira, sediada em Brasília (DF), dedicada  
à conservação e ao desenvolvimento sustentável, harmonizando a  
preservação da biodiversidade com o uso racional dos recursos  
naturais renováveis. 
 
CONTRA OFENSIVA 
Nos bastidores de Brasília trava-se uma batalha intensa cujos  
resultados interessam diretamente ao povo roraimense. 
A chegada da energia de Guri, prevista para o final deste mês, vai  
mexer com o bolso do consumidor. É que a Eletronorte quer manter o  
custo do quilowatt em 125 dólares, quando o estudo aponta que aqui  
não custará mais que 26 dólares. 
Por isso o senador Mozarildo Cavalcanti (PFL), juntamente com o  
governador Neudo Campos, já entrou em ação para fazer valer a lei da  
oferta. Nada de manter nas alturas o preço que será reduzido com a  
chegada da energia hidráulica. 
 
 
 
 
 
_______________________________________________________________________ 
http://www.eListas.net/ 
Crea y administra tus propias listas de correo gratuitas, en español.